Arquivo para livro

Dica de Livro – Vintage Cocktails

Posted in Arte, design, Fotografia, Livro, Vintage with tags , , , , , , , on 1 de junho de 2010 by taisbottesi

Vintage Cocktails

Vintage Cocktails

Fino!

Tem pra vender aqui na Amazon.

O que Keith Richards faria em seu lugar?

Posted in Lançamento, Livro, música, Personalidade, Produto with tags , , , , , , , , on 28 de maio de 2010 by taisbottesi

O que Keith Richards faria em seu lugar?

Esse é um livro de auto ajuda (!!), que usa toda a sabedoria e filosofia do Keith ao melhor estilo rock’n’roll de levar a vida, pra ajudar e motivar você em momentos complicados e foi lançado agorinha, dia 23 deste mês.

O texto a seguir é da folha, foi publicado algum tempo atrás, antes do lançamento do livro, e fala um pouco sobre os 26 mandamentos do “Keithismo”. Eu, obviamente, não faria melhor então lá vai:

“Logo no primeiro capítulo, Jessica descreve os princípios do chamado “Keithismo” – os “26 dez mandamentos” do roqueiro. A autora mostra para o leitor como Richards desafiou e desafia as leis da sociedade, da medicina e do bom senso, e continua vivendo graças a uma filosofia singular.

Filosofia essa que já o colocou na prisão e o incriminou. Richards perdeu um filho, perdeu a si mesmo e se recuperou. A vida não lhe parece ganha, pelo contrário, está confinada às idiossincrasias que rondam o ser humano.

A Livraria da Folha selecionou três dos 26 princípios do “Keithismo”. Leia abaixo:

1. Conheça a si próprio
2. Somos todos iguais debaixo da pele
3. Não existem segredos
4. Aceite os Rolling Stones como seu senhor metafórico
5. O formato da banda é um modelo de interação
6. Aceite (ou pelo menos tolere) seu Mick interior e exterior
7. Alimente seu Charlie interior
8. Aceite seus vícios, encare-os com humor e livre-se da culpa
9. Use a música à sua volta, sua antena e sua guitarra interior
10. Coloque em prática a antiga arte da tecelagem
11. Conquiste os clássicos
12. Saia de dentro da própria cabeça e permita-se sentir
13. Mesmo que tenha que fazer isso em segredo, seja gentil
14. Aprecie uma vida nômade – mesmo que nos confins de uma pequena cidade
15. Aceite e viva com o passado (a grande história) e o futuro (a possibilidade)
16. A respiração criativa – inspire o que você ama

“Eu cheirei o meu pai. Ele foi cremado, e eu não pude resistir misturar um pouco de suas cinzas com um pouco de pó. Meu pai não se importaria. Desceu bastante bem, e eu ainda estou vivo.”

Cheirar as cinzas do pai. Uau! Gostaria de ter bolado isso. Quando a revista britânica “New Music Express” perguntou a Keith em 2007 qual tinha sido a coisa mais estranha que já cheirara, esse comentário sobre o pai foi recebido com uma tempestade de choque e horror.

Keith rapidamente recuou – disse que estava brincando. Depois recuou novamente: sim, é verdade, ele disse; e afirmou ter fingido que inventara somente para não ma goar a mãe, que estava morrendo. Talvez ele não quisesse que a mãe pensasse que ele pretendia fazer o mesmo com ela.

É verdade que um bocado do que Keith inalou criativamente ao longo dos anos, além do pai, se enquadra na categoria de “substâncias ilegais” ou “medicina recreativa”, mas ele também sempre inalou, de maneira exuberante, aquilo que o sustenta: música, família, amigos, sinuca, gargalhadas.

De acordo com Harold Schechter em um editorial do “New York Times”, cheirar o pai não é tão absurdo assim. Vem de uma prática de canibalismo funerário, a qual “brota de um impulso profundo e muito humano: o desejo de incorporar a essência de alguém amado dentro do próprio corpo; a crença de que, quando alguém próximo morre, a pessoa vive dentro de nós, tornando-se uma parte imortal de nosso ser mais profundo.”

Talvez todos nós devêssemos participar desse tipo de inalação.
E com freqüência. Inspire o que você ama.

17. Seja forte, seja corajoso e não ceda às ordens das autoridades
18. Dê valor à família e aos amigos independente da loucura que eles podem provocar.

“A única maneira de você ser como eu é tendo uma boa família.” Num primeiro olhar, esse pode ser um chocante sentimento anti-Keith. O fora da lei todo sentimental sobre família? Mas isso vem de um cara que já foi uma criança orelhuda que entrava em pânico toda vez que não encontrava sua mãe no lugar combinado para buscá-lo depois da aula. É também o mesmo cara que, na prisão, escreveu uma carta enquanto olhava para o céu pela janelinha mínima da cela: “querida mamãe, não se preocupe…”

Ninguém poderia dizer que Keith é o queridinho da mamãe, mas fatos são fatos. E isso acabou sendo uma coisa boa. Ele tratava bem sua mãe. E, depois de vinte anos de estranhamento com o pai, eles se reconciliaram, tornaram-se amigos chegados e parceiros de dominó. Seu pai, sua ex-mulher, sua mulher atual e seus filhos sempre foram aos seus shows. Seu casamento tem quase trinta anos. Ele jamais revelou qualquer coisa íntima sobre a vida dos filhos.

E, apesar de não ser, certamente, um pai, um marido ou um filho tradicional, sua família sempre sabe onde encontrá-lo e sabe que seu amor está sempre presente.
Uma palavra de sabedoria de Keith: cuide de sua família, mesmo que tenha que fazê-lo em segredo. Sempre funcionou para ele. Pode apostar que essa é uma das razões para que tenha mantido a amizade com Mick Jagger desde os anos 40. Existem boas ações acontecendo discretamente. Mesmo que você carregue uma faca no bolso da calça, ou tenha que levantar um machado ou um revólver para Ron Wood de vez em quando, isso não significa que você não é leal.

Sobre família: “Se você tiver uma chance, experimente, porque é uma das coisas mais especiais da face da terra. Ela oferece aquele último elo perdido sobre o sentido da vida.”

Sobre os amigos: “A única maneira de saber se um cara vale alguma coisa é apostando nele. Às vezes os amigos nos decepcionam, às vezes não. Mas você precisa apostar, caso contrário, não ganha nada de nada.”

19. Coloque-se. A honestidade é medicinal

Você acredita nas coisas que Keith diz sobre Mick para a imprensa?
E o que Mick diz de Keith?
E o que Keith diz sobre Ronnie? E o que Ronnie diz sobre Keith?
E o que Charlie diz sobre Mick?

Talvez nem todos consigam sair ilesos, mas, de alguma forma, isso funciona com os Stones. Uma porção de cachorros latindo. É algo a ser imitado.
É melhor botar para fora que guardar.

Existe uma regra aqui, no entanto, relativa àquilo que pode e ao que não pode vazar. Já reparou que, com todos os membros da banda falando abertamente sobre os outros publicamente, nenhum deixou escapar algum segredo do outro? O que eles estão manifestando publicamente são opiniões. Coisa pequena. Fazer piada da roupa de lycra colante incrivelmente embaraçosa do gêmeo do mal, do vexame de entrar em palco dentro de uma máquina usada para colher frutas, ou da interminável pulação à la Peter Pan durante a performance. Ou pegar no pé de namoradas cujos papos são tão interessantes quanto falar com uma janela aberta. Ou fazer pouco das pretensões políticas do gêmeo do mal. O que está por baixo das relações é sempre mantido em silêncio de honra. Perceba que confidências são guardadas. Ninguém entrega ninguém. Siga essa regra. Como costumam dizer aqueles que o conhecem: “Não se quebra uma promessa feita a Keith.” E pode ter certeza de que isso funciona em mão dupla. Você pode falar, descarregar, ter uma boca grande, mas conheça sempre os limites éticos. Passe dessas linhas e você entrará no território: “Você ferrou com o Keith?” Não existe floresta mais escura que essa.

20. Talismãs têm poder
21. Aceite Max Miller na sua vida. (Ou: É tudo uma tremenda piada, porra. Ria.)
22. A experiência é o “preço da educação”
23. Viva e deixe viver
24. Merdas acontecem
25. Quando se desesperar, lembre-se: tem sempre o futuro
26. Passe adiante”

Autor: Jessica Pallington West
Editora: Fontanar

Adorei e já me tornei discípula!

Tem pra vender aqui. Bom presente de dia dos namorados também, hein?!

Guido Mocafico

Posted in animal, Arte, Fotografia with tags , , , , , , , , on 10 de dezembro de 2009 by taisbottesi

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Guido Mocafico - Venenum: Serpens

Trabalho maravilhoso do fotógrafo Guido Mocafico. Essas fotos fazem parte do seu trabalho Venenum que é composto por 4 livros: Medusa, Serpens e Aranea, esses todos de fotografia e mais um de texto.

Tem pra comprar aqui.